sexta-feira, 12 de março de 2010

Polícia Federal e eu...Sandro Araujo



Mais uma vez, acabo me dirigindo a tantos, que sonham um dia ingressar no Departamento de Polícia Federal. Agora, com um pouco mais de motivos, uma vez que pessoas próximas alimentam esse anseio, e eu, observando tudo o que é preciso para atingir tal meta, não deixo de tentar, humildemente, iluminar o caminho tortuoso, que vai do concurso à nomeação.


Em plena sexta-feira, por volta de 18:05h, que é o momento no qual escrevo, sem querer, sou envolvido por uma onda de lembranças. O silêncio reinante por aqui, na Delegacia de Polícia Federal de Niterói, de certa forma, inspira-me a escrever estas linhas. Já são quatorze anos por aqui. Lembro bem que, assim que entrei e era um simples “novinho”, como são chamados os calouros policiais, jamais acreditei que mudaria minha visão do que é ser policial.


Eis que o tempo passou e percebo-me com o mesmo sangue APF positivo correndo nas veias. Praticamente, faço tudo igual aos dias iniciais...as mesmas precauções, os mesmos exercícios mentais...os mesmos cuidados com o armamento...a vigilância constante enquanto caminho pelas ruas...e as mesmas esperanças de um Departamento melhor e mais moderno no futuro.


Penso se ainda vivenciarei as mudanças que tornarão este órgão realmente digno de ser considerado de primeiro mundo. Mas todos vocês, novos policiais, e aqueles que aspiram entrar nesta Polícia, com certeza, terão papel fundamental nessas mudanças. Para isso, preparem-se mesmo antes de ingressar. Adentrem os portões da Academia Nacional conscientes do seu papel.


E que papel é esse? Será que é mais que um bom emprego, com um salário inicial acima da média nacional? Será que a busca por um lugar por aqui, deve ser pautada apenas pela necessidade de estabilidade? Afinal, que papel é esse, do policial? O que o torna diferente dos simples mortais?


Aqueles que vivem Polícia e a têm correndo em suas veias, sabem que em seu meio serão verdadeiros imortais...O tempo passou para mim aqui e sempre sobra espaço para homenagear os bons que se foram por qualquer razão. Fazer o melhor irá torná-los diferentes e únicos. Simplesmente inesquecíveis.


Quando entrei neste DPF, o salário seria, em valores de hoje, algo em torno de 800 reais. Será que foi o dinheiro que nos motivou? Será?... O desejo incontido de fazer a diferença, de buscar justiça, paz...de ser reconhecido entre os pares como alguém que busca a excelência de atuação, sem jamais esquecer de honrar os antigos...


Eis uma questão crucial...os antigos...e hoje, já posso ser incluído nesse rol. Por mais que houvesse vícios, por mais que o profissionalismo não fosse tão grande, os antigos com os quais convivi serão sempre honrados e venerados por mim. Foram eles que construíram o alicerce no qual me apóio e todos vocês irão pisar um dia.


Até hoje, por mais velho que eu esteja, dirijo-me a eles como se eu ainda fosse o garoto recém empossado, com o maior respeito do mundo...Quase como um filho se dirige a um pai ou a alguém com quem aprendeu valores complexos, no intrincado Universo que é a Polícia, seja ela Federal, Civil ou Militar. De qualquer maneira, agradeço a eles...


Entrei no Departamento para ter uma página só minha. E acredito que essa deva ser uma idéia de todos aqueles que almejam caminhar por aqui. A construção da lenda pessoal de cada um é efetivada a cada dia, de trabalho honesto, centrado e voltado, principalmente, para o público. Estar aqui é ser abnegado...ser generoso...ser colega...parceiro... Apesar deles existirem, não há espaço para individualistas por aqui...Quando identificados, esses indivíduos ficam estigmatizados por toda a carreira. Se você, futuro policial, tem dificuldades de trabalhar em equipe e colocar a vida do parceiro no mesmo patamar de importância que a sua, desista antes de entrar. Aqui não será uma boa casa para você.


A humildade também tem sido um artigo em falta entre muitos novatos com os quais convivo. Lamentável de ver, como em tão pouco tempo se julgam “super”, melhores que tudo e todos. A maioria acorda a tempo...Alguns, passarão suas vidas acreditando nessa mentira forjada em suas mentes, de serem melhores que todos.


A todos vocês que anseiam pelo momento de vestir a roupa negra, vivam cada fase como se fizessem parte efetiva disto...Em cada página do material didático com o qual se preparam para a prova, mentalizem suas vidas, como se a Polícia já fosse parte integrante delas. Encham o coração de certeza. Visualizem suas atribuições e o que a sociedade espera de vocês, que não é pouco... Não temam...Não tenham medo de NADA. Se a Polícia faz parte de seus futuros, NADA poderá impedi-los de atravessar os portões daquela Academia, na cidade satélite de Sobradinho, onde a história real de todos vocês começará a se tornar realidade.


Grande abraço a todos

17 comentários:

  1. show! esses textos me animam pra estudar mais mais mais e mais, a velha técnica de William Douglas,
    A uto-disciplina
    E studar,estudar,estudar,estudar,estudar
    hIgiene
    O rganização
    U tilidade

    ResponderExcluir
  2. Muito bom o post, sempre gosto de ler sua visao sobre a carreira e como eh na ANP. Coloquei algumas fotos em www.pettersonfaria.com.br/fotos interessante divulgar para dar forcas ao pessoal que aspira estar la um dia.

    ResponderExcluir
  3. Valeu Sandro!!

    Você não tem ideia do quão importante suas palavras são para nós, aspirantes!!! Obrigado mesmo.

    Patterson, show de bola as fotos da ANP, obrigado.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  4. Mais uma vez, vc nos contempla com palavras inspiradoras, Sandro. Que nossos sonhos se concretizem em forma de aprovação no concurso e que com árduo trabalho, possamos elevar o patamar do Departamento.
    Como canta maravilhosamente Fernanda Brum:
    "...Deus está comigo, eu sinto no ar
    É como o vento a me tocar
    Passeia comigo, conversa comigo
    Revela segredos que só nele há
    Me põe em seus planos
    Sou parte dos sonhos
    Dos sonhos perfeitos
    Que não falharão
    Deus está comigo eu posso sentir
    Até as batidas do seu coração."

    ResponderExcluir
  5. Vou imprimir este texto e colocar no meu quarto para nunca esquecer do meu objetivo de fazer parte do DPF e trabalhar com esta equipe.

    ResponderExcluir
  6. Belas palavras, ou melhor, sábias palavras. Parabéns!

    ResponderExcluir
  7. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  8. Poxa cara, eu leio esse blog a menos de 1 mês eu acho, sempre que tenho um tempinho eu dou uma olhada.

    O que eu tenho a falar sobre esse texto é apenas: MUITO OBRIGADO!

    Palavras objetivas, esclarecedoras, de incentivo...
    Eu chego a tremular a garganta, arrepiar...
    Pode ser que um dia eu mude meu pensamento de
    querer ser um Policial Federal...
    Espero não mudar e seguir forte com meu objetivo de vida...

    Esse texto só me faz querer mais e mais ingressar nesse meio onde existem pessoas como você...
    Com esses bons valores.

    Aqui quem comenta é um simples estudante de Direito do 1° período de PE, mas que hoje
    toma esse texto como uma das provas que: é realmente isso que almejo para minha vida.

    Demasiadamente grato por esses posts, especialmente esse [...]

    ResponderExcluir
  9. Esses textos sempre me deixam mais animada a continuar, de verdade. Mais uma vez, como todas as outras, agradeço por uma postagem como essa, Sandro.

    Ainda to bem longe dessa realidade, já vivo como se tudo se caminhasse para esse desfecho - por ser um sonho, um desejo, algo que até deixa o sangue correndo mais rápido.

    ResponderExcluir
  10. Ola.
    Tudo muito bem explicado.Nota-se que voce tem prazer no que faz,na sua profissao,isso e muito bom.Texto contagiante de tao bom.
    Grande abraco.zenaide storino.

    ResponderExcluir
  11. Sandro, poderia me esclarecer umas dúvidas por favor?

    Gostaria de saber qual é a frequencia que a PF se envolve em casos de sequestro, homicidio ou invasões, outra coisa, quem seria o responsável pela análise do local do crime? o APF ou algum perito? se for perito, qual seria a área dele?

    muito obrigado e parabéns pelo blog!

    ResponderExcluir
  12. Muito bom esse texto que vc escreveu, estou ainda em fase de concurso da PM aqui de São Paulo e isso me motiva ainda mais para poder entrar e dar minha contribuição para a toda nossa sociedade.
    Espero quando terminar minha faculdade de Direito poder ingressar nessa gloriosa polícia que é a Federal, um grande abraço

    Diego A.

    ResponderExcluir
  13. Estou sempre por aqui lendo seus textos, mas nunca comento..hehe
    Resolvi hoje mudar essa realidade e deixar um abraço.

    Matheus Pegorim

    ResponderExcluir
  14. Jorge Maricato,

    Às vezes, o DPF acaba investigando casos de homicídio e sequestro. Depende muito das vítimas e das circunstâncias.
    Mas são os Peritos, os responsáveis pela análise do local do crime.
    No curso de Peritos na ANP, todos têm aulas que permitem uma análise primária de local de crime.

    Matheus,
    Irmão querido.
    É uma honra tê-lo por aqui.

    ResponderExcluir
  15. Muito legal o texto. Gosto muito desse blog. Parabéns Sandro! Sempre que entro aqui e leio os textos, é como se eu tivesse acabado de tomar um energético para continuar a batalha.
    As fotos da ANP que o colega postou tb foram demais. Moro em Brasília e não vejo a hora de ir rumo a Sobradinho!!!
    Valeu.

    ResponderExcluir
  16. Poderia estar apenas fazendo seu rotineiro e gratificante trabalho na DPF... mas não, consome parte do seu tempo nos ajudando a realizar um sonho de que parece inalcançável até recebermos a tão sonhada farda negra... louvável sua atitude, Sandro... louvável!

    ResponderExcluir
  17. O dia que eu atravessar o portão da ANP, este será o dia mais feliz da minha vida

    ;-)

    Em breve, se Deus permitir

    ResponderExcluir

Share It