quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Sobre (IN)Segurança Publica

  Sim. O despreparo é visível. Gritante. Aviltante. Milhares de homens e mulheres são lançados todos os anos, em verdadeiros teatros de guerra, sem ter a menor ideia do que é estar ao lado da lei, ostentando suas fardas e distintivos.

As tragédias se sucedem. Ficamos cobertos de revolta ao acompanhar as falhas de tantos agentes da lei. Tiros e mais tiros. Atirar antes e perguntar depois, muitas vezes para cadáveres. É o que estampam as manchetes de um sem número de jornais no Brasil inteiro.


Mas o que dizer de um sistema de segurança, que insiste em manter os pés fincados no século XIX, enquanto o mais medíocre dos criminosos acompanha a evolução dos tempos? Falta objetividade em todo e qualquer procedimento. As investigações se prolongam por tempos sem fim, com índices de elucidação extremamente baixos.


Tudo o que é moderno, em termos de segurança pública, parece encontrar obstáculos quase intransponíveis para entrar neste país. Na contramão de tudo o que é eficiente, os governantes adoram investir em viaturas. Logística e comunicação ficam em segundo ou terceiro plano. A capacidade de antever os passos do crime é algo ainda incipiente, fazendo com que os esforços sejam envidados na tradicional postura meramente reativa, das polícias. Atuam, depois que o crime já ocorreu.


Voltando aos toscos procedimentos de alguns agentes da lei, o que podemos dizer de um indivíduo que é admitido nas forças policiais, passa a frequentar um curso de formação, de eficiência muitas vezes questionável, que jamais dará condições, sejam físicas ou psicológicas, desse indivíduo lidar com o poderoso crime, seja organizado ou não?


Já pararam para questionar seus gestores de segurança, por que os policiais de unidades não especiais, aqueles que estão perto de nós no cotidiano, treinam tão pouco? Ou por que o acompanhamento psicológico, capaz de detectar instintos nocivos, é pouco ou até mesmo inexistente?


Que Polícia vocês querem para vocês? Ou melhor. Vocês tem alguma ideia de como as Polícias funcionam de verdade? Se conhecem isso, estão satisfeitos? Se não estão, cobram de alguém, de forma séria e organizada? Acho que não. A maioria só irá se manifestar de verdade quando sentir na própria pele os efeitos de gestões criminosas da segurança pública brasileira em todos os níveis.


Enquanto os policiais militares estiverem adentrando as comunidades e tirando de circulação os “monstros”, que atuam como soldados do tráfico, muitos de nós estarão dizendo, mesmo que em pensamento: “Bandido bom é bandido morto.” Muito triste isso.


O conceito de polícia no Brasil, foi concebido para satisfazer uma parcela pequena. Sociedade é uma palavra vaga e sem objetividade para boa parte dos gestores, que, encastelados em seus bunkers, provavelmente jamais irão sofrer as dores de um mundo sem lei, onde policiais e bandidos, antagonistas por natureza, são grandes vítimas de um sistema concebido há décadas, para dar errado.  

terça-feira, 23 de dezembro de 2014

Pergunta: Existe corrupção dentro da Polícia Federal?

Essa foi a primeira pergunta que mandaram........

É sério isso?

Quer dizer...essa pergunta é séria??????

Queridos...

Estamos falando de BRASIL!!!!!

B R A S I L !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

POLÍCIA FEDERAL: O que você quer saber sobre ela???

Comecei esta semana um tanto quanto intrigado.
Descobri que sou o inimigo público número um, de alguns individuos pertecentes a uma determinada classe de servidores públicos. Pelo menos no estado onde vivo, que é o RJ.
A esses portadores de tal "ódio"...Saibam

Esse sentimento NÃO É RECÍPROCO. O ódio é um sentimento forte e as pessoas só o sentem por quem FAZ DIFERENÇA em suas vidas. Como não é o caso de vocês...paciência.

Até porque, dentro de sua classe, estão alguns dos meus melhores amigos, pessoas que respeito e admiro.

Mas saber disso me levou a uma reflexão.

Por que me deixei levar por pedidos de amigos, quando estava com a carta de demissão pronta, para continuar por aqui??

Não...não foi pela família. Não foi pela estabilidade. Não ligo para essa pretensa "segurança" uma vez que já experimentei a doce sensação de dormir "seguro", sem grandes preocupações, e acordar num presídio de segurança máxima, sem sequer saber porque ali estava.

Acho que foi pela LUTA.
Por tentar erguer a bandeira da coerência e da modernidade, num órgão movido pelo MARKETING.

Sim...para desmitificar muitas coisas...

Para levar a verdade a quem precisa dela...

Que verdades???

Quais as verdades que vocês querem saber???

Fiquem à vontade para perguntar...

Não fugirei de absolutamente NADA.

Aqui não é rede social...meu compromisso é comigo mesmo e com aqueles que param alguns segundos para ler esta página...essa meia dúzia de "renegados", como eu...

sexta-feira, 19 de dezembro de 2014

Ainda incógnito, ouso escrever sobre coisas que incomodam...
Final de ano, Natal...
A esperança do início de novos ciclos.
Como é ingênuo o ser humano...Como se mostra vazio e vaidoso, em suas postagens do tipo "EU SOU FODA!!" nas redes sociais.
Tanto por fazer para que este mundo tenha o mínimo sentido, e a superficialidade é a tônica. Aliás, deverá ser ainda por muito tempo.
Desde muito pequeno me incomoda muito a falta de coerência de comemorar as "festas" de fim de ano.
Bebedeiras, irresponsabilidades, leviandades...Tudo superlativo, pois o ser humano aprendeu a não economizar com suas proprias desvirtudes.
E lotam shoppings.
Endividam-se...
E eu...desde muito criança, pergunto-me:"Para que??"
Sempre precisei de pouco.
Nunca aspirei coisas titânicas, presentes inalcançáveis.
Para mim, sorrisos e abraços sempre valeram muito mais que pacotes.
Mas é isso...
A loucura de uma comemoração sem objetivos...
Natal,
Ano Novo (???)
Carnaval..............
Uma lástima.
Como é medíocre e raso o coração humano

segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Bom mesmo escrever meio incógnito.
Há quase 6 anos escrevi as primeiras linhas neste blog. Despretensioso no início, acabou ganhando a missão de ser um ente esclarecedor do que ocorre em torno do Universo Policial.
Confesso que não era essa a intenção. Jamais foi.
Mas as demandas surgiram. E eu as assumi...
Demandas que me levaram a escrever outro livro...do qual eu também confesso não gostar.
Por que?
Porque a Polícia Federal, essa importante instituição da República, não me fez bem. Não falo de ser justa ou injusta, pois não sou ninguém para afirmar meu grau de merecimento das coisas da vida.
Mas esta minha vida, meio que perdeu o sentido...Busquei ser o melhor dentro deste Universo Policial...busquei a ética, o espírito público...e ganhei descaso e o pior momento que vivi...
Mas não foi a Polícia. Foram pessoas que nela estão. E que se perpetuam. Pois a Polícia foi feita para elas e apenas para elas...
Enfim...sem reclamações sobre isso.
Mas poderia reclamar...xingar...rsrs...depois das redes sociais e o Sandro Araujo que ocupa essas redes, tenho certeza que poucos vêm aqui. E os mais próximos de mim, devem me procurar no facebook (que desativei recentemente) ou no instagram, twitter...
Este blog acabou se tornando uma zona meio neutra, que as pessoas só leem, quando eu posto os links nas redes sociais.

Como não vou mais postar nas redes...................................Somente meia dúzia irá ler.

Share It